Terapia da fala

   A Terapia da Fala consiste no desenvolvimento de atividades no âmbito da prevenção, avaliação e tratamento das perturbações da comunicação humana, englobando não só todas as funções associadas à compreensão e expressão da linguagem oral e escrita, mas também outras formas de comunicação não-verbal.
 O Terapeuta da Fala é o profissional responsável pela prevenção, avaliação, diagnóstico, tratamento e estudo científico da comunicação humana e perturbações relacionadas ao nível da fala e da linguagem bem como alterações relacionadas com as funções auditiva, visual, cognitiva (incluindo a aprendizagem), oro-muscular, respiração, deglutição e voz. Neste contexto, a comunicação engloba todas as funções associadas à compreensão e à expressão da linguagem oral e escrita, assim como todas as formas apropriadas de comunicação não-verbal (D/Lei 261/93, de 24 de Julho).
No Centro, o Terapeuta da Fala acompanha o paciente no seu desenvolvimento comunicativo, dando resposta às dificuldades apresentadas nas seguintes áreas:

    LINGUAGEM
   É a capacidade humana que permite às pessoas comunicarem entre si e pode ser verbal (oral ou escrita) ou não verbal (gestos).
Divide-se em cinco componentes do sistema linguístico: fonologia, sintaxe, morfologia, semântica e pragmática.
O comprometimento das competências linguísticas põe em causa as interacções com o meio.


    ARTICULAÇÃO
   Consiste na produção de fonemas (vogais ou consoantes). Alterações ao nível da articulação verbal comprometem a clareza do discurso e podem trazer consequências ao nível da aquisição de competências no processo de leitura e escrita.


    VOZ
   É a ferramenta base da comunicação e transparece aspectos da identidade e personalidade de uma pessoa. Alterações vocais comprometem o ato comunicativo e podem trazer consequências ao nível da auto-estima. Neste sentido, importa reeducar e consciencializar face aos maus usos e abusos vocais na infância.

   

    FLUÊNCIA
   É a capacidade de encadear sons, sílabas ou palavras da linguagem oral. As perturbações do ritmo e fluência da expressão verbal (ex. gaguez) podem constituir uma barreira ao desejo de comunicar por parte da criança, contribuindo muitas vezes para o seu isolamento face aos momentos de socialização.


    DEGLUTIÇÃO
   Algumas crianças apresentam alterações no ato de engolir. Estas alterações podem estar relacionadas com fatores neurológicos ou ao nível das estruturas oro-faciais (postura da língua, oclusão dentária, entre outros).


    MOTRICIDADE ORO-FACIAL
  É área relacionada com o desenvolvimento, habilitação, aperfeiçoamento e reabilitação dos órgãos fono-articulatórios e região cervical, bem como das respectivas funções estomatognáticas: sucção, mastigação, respiração, fala e deglutição.

PT

+351 936 897140

+351 289 864 578

  • Facebook Round
  • Blogger Round
  • Google Square
  • YouTube Square